Com tantas regras e obrigações impostas na lei para serem cumpridas, muitos empresários acabam cometendo erros em relação a todas exigências legais. Essas falhas podem gerar sérios problemas com o Fisco, inclusive a aplicação de multas e demais sanções que podem impactar no desenvolvimento do negócio. Para evitar que isso aconteça, contar com o compliance fiscal pode ser uma ótima opção.

Isso porque se trata de um conjunto de medidas e condutas usadas com o intuito de respeitar as normas, regulamentações e políticas estabelecidas por uma companhia, por meio de ferramentas que ajudam no controle dos processos internos.

Pensando na sua importância, elaboramos este post para esclarecer os principais pontos sobre o assunto. Confira!

Quais as vantagens em adotar o compliance fiscal?

O compliance fiscal pode gerar benefícios diretos e indiretos para a empresa. Conheça alguns deles a seguir.

Diretos

  • arquivamento de todos os documentos relevantes para a comprovação das declarações emitidas;
  • acompanhamento de todas as obrigações a serem desenvolvidas e seus prazos;
  • auditoria para a identificação de falhas;
  • geração automática de guias para o recolhimento dos impostos;
  • preenchimento adequado das notas fiscais.

Indiretos

  • padronização e rapidez nos processos internos;
  • minimização dos custos relativos aos tributos;
  • diminuição dos riscos de penalidades;
  • criação de uma imagem positiva da instituição no mercado;
  • acessibilidade às informações fiscais.

Quais são os grandes riscos de não contar com o compliance fiscal?

Entre os riscos de contar com esse serviço estão:

  • multas e demais penalidades pelo descumprimento das normas fiscais — o que pode afetar de forma negativa o planejamento financeiro da organização;
  • falta de conhecimento sobre o funcionamento dos tributos devidos;
  • lentidão nos processos internos por erros no preenchimento de documentos, retrabalhos ou confusão entre os membros da equipe;
  • impacto na reputação da empresa no mercado ­— já que, devido às dificuldades ficais, o relacionamento com clientes, fornecedores e parceiros é afetado;
  • problemas no acompanhamento da lei — já que, devido à desatualização, fica impossível acompanhar as alterações tributárias.

Qual é a importância desse recurso para a segurança contábil da empresa?

O compliance fiscal avalia se o recolhimento dos impostos está adequado às características do negócio, além de monitorar a rotina operacional com o intuito de atender todas as exigências. Ademais, esse conjunto de regras também estimula o crescimento da empresa, propiciando um futuro promissor e várias melhorais, por exemplo:

  • segurança das informações;
  • prevenção de fraudes;
  • atendimento às auditorias internas e externas;
  • elaboração de um planejamento eficiente;
  • realização de contabilidade gerencial e fiscal, entre outros.

Ou seja, o compliance fiscal é uma estratégia que ajuda as organizações no cumprimento das tarefas contábeis para que tudo aconteça da melhor maneira, reduzindo os problemas com o Fisco.

Como é o processo de implantação de compliance fiscal na empresa?

Para estruturar um departamento de compliance, é necessário contratar profissionais qualificados na área, além de treinar o time de colaboradores para alinhá-los com o fluxo de trabalho da companhia.

Por meio das funcionalidades fornecidas pelos ERPs, é possível atender essas demandas com maior efetividade e, assim, garantir a integridades dos dados, gerar informações fiscais por meio de documentos digitais, entre outros.

O governo vem implementando cada vez mais sistemas capazes de possibilitar a fiscalização quanto ao cumprimento das obrigações necessárias, e o compliance fiscal pode fazer toda a diferença nesse momento, por meio da aplicação de métodos que vão garantir a regularidade da empresa diante todas as responsabilidades.

Gostou deste conteúdo? Então, siga as nossas páginas nas redes sociais e acompanhe nossas publicações. Estamos no Facebook e Instagram!

Escreva um comentário

Share This